facebook

Nove coisas que você precisa saber antes de viver o nomadismo

Ahhh, quero viver uma vida nômade! Quero ser um nômade digital! Esse é aquele momento em que inflamos o peito e soltamos essa frase repetidas vezes para nós mesmos. Pronto! Decidi o que quero para a minha vida!


Mas às vezes falamos isso sem saber que um mundo desconhecido está à nossa frente. E se não tivermos uma vida bem planejada e com metas, dificilmente você conseguirá trilhar esse caminho por muito tempo.

É importante entender que “nômade digital” ou “nomadismo digital”, não é uma profissão. Este na verdade é um nome que vem se popularizando e caiu na moda do momento, porém este é o nome dado para mais para um estilo de vida ou uma nova filosofia de vida. Onde é possível exercer trabalhos remunerados em qualquer lugar do mundo. Ou seja, é necessário sim você ter uma profissão que possibilite o trabalho remoto, para que assim você consiga viver o nomadismo digital.

Não estamos aqui para ditar regras, mas como gosto de dizer: compartilhar experiências. As experiências pessoais e a pesquisa de campo são o que embasam a nossa opinião dentro desse meio nômade.


1 – Planeje a sua Experiência


Planeje a sua experiência com cautela. Faça uma pesquisa detalhada por onde quer viver. Como são os valores das hospedagens, custo de vida com alimentação e locomoção. A documentação necessária, caso seja fora do país. E procure por muitas referências de quem já tenha vivido no mesmo local.
Se for viajar somente dentro do Brasil, vale a pena usar carro particular? Alugar um carro? Investir em um motorhome? Olhe só quantas variáveis! Temos um post em nosso podcast sobre esse assunto. Pense no famoso: Como e quando…

2 – Trace uma meta para quando iniciará a sua jornada nômade


Crie uma poupança para emergências. Trace uma rota por onde quer passar os seus dias ou meses. Crie planilhas de gastos. Faça comparativos com o que você gasta hoje e como vai poder economizar não tendo uma residência fixa, por exemplo.
Quando viajamos de férias do trabalho, por exemplo, sabemos que gastamos muito mais. Temos ainda as despesas da casa, que ficou e a despesa das férias. Mas se você estiver viajando como nômade, e já não tem mais uma casa fixa, então, adeus essas despesas do lar. São outros desafios e podemos ajudar com este plano, se alguem assim desejar
Lembre-se que uma jornada nômade não é uma vida de turista. Também temos em nosso site e no podcast material sobre isso. Confere lá!

3 – Faça cursos e consuma material sobre nomadismo


Nada de se aventurar por aí sem saber onde está se metendo hein? Estude muito! Primeiro, estude, caso você não tenha uma profissão que possibilite exercer um trabalho remoto remunerado. No nosso site temos uma postagem com cinco dicas para trabalho remoto.
Depois consuma material de outras pessoas que já se aventuraram pelo nomadismo. Faça cursos, compre e-books. Isso ajuda a não cometer os mesmos erros de quem já foi.


4 – Crie uma lista de locais que trocam hospedagem por trabalho


Este é um assunto polêmico, porém, se você não tem como bancar um AirBnB, por exemplo, saiba que existem lugares que trocam serviços por hospedagem. E pode ser uma boa para você. No nosso site falamos um pouco sobre o WorldPackers.

 

5 – Ser autônomo ou trabalhar para uma empresa?


Uma questão complexa. Há dois perfis que podem ajudar nesse quesito: ser freelancer, empreendedor digital ou trabalhar para uma empresa que permita esta possibilidade de home office 100%.
No Brasil temos um cenário trabalhista bem complexo quando falamos de trabalho remoto. Muitos empresários/empresas parecem que precisam ter o funcionário ali do seu lado, ou seja “a olhos vistos”, o que dificulta que alguns profissionais exerçam trabalhos remotos. Esse tipo de empresa impossibilita que você faça viagens e more em outros lugares, porque a empresa pode precisar de você para alguma reunião presencial ou simplesmente para “bater o ponto” durante a semana.
Já o trabalho freelancer possibilitará que você trabalhe em qualquer lugar do planeta: basta ter uma conexão com a internet. Mas para isso, você precisará prestar atenção aos dois próximos itens.

6 – Para trabalhar com internet você precisa de? INTERNET!


Parece óbvio, não é? Então pense muito bem antes de se isolar em uma ilha no nordeste brasileiro ou no pacífico sul. Pois, a internet pode ser dificultosa em alguns locais. Muita água de coco e drinks à base de abacaxi, mas isso não vai melhorar a qualidade de uma conexão 3g, 4g ou via rádio. Não conte com esse tipo de conexão para trabalhar.
Dependendo do seu ramo de atividade, será muito difícil enviar arquivos pesados para um servidor na nuvem ou mesmo baixar esses arquivos para trabalho. Reuniões online? Nem pensar! Difícil com uma internet oscilante em demasia
Escolha locais com boas conexões à internet, talvez um coworking e fique muito atento a isso.

7 – Instabilidade Financeira


Se você optou por ser um empreendedor digital ou um profissional freelancer, saiba que o salário não cairá certinho todos os meses. Os projetos não fecham no mesmo mês, você terá que aprender a gerir equipes e clientes. Será necessário ter um bom CAPITAL DE GIRO para cobrir as contas. E precisará de muita resiliência para viver com esses obstáculos.
Precisará aprender que errar não é errado. E precisará de muito jogo de cintura para contornar os problemas que poderão surgir.

8 – Carregue poucas coisas


Lembre-se: você viajará de um local para o outro o tempo todo, pelo menos a cada dois meses, dependendo do seu planejamento. Se estiver sozinho e sem carro, não poderá carregar muito além das suas roupas e do seu equipamento de trabalho. Falamos sobre desapego em episódios anteriores.

 

9 – Conte com imprevistos


A pandemia está aí para dar o exemplo. Quem imaginaria um imprevisto do tamanho de uma pandemia? Isso em pleno século 21. Você vai precisar ter um fundo de reservas para superar momentos como esses, caso seu trabalho diminua. Mas podemos pensar em outros como um problema com o seu equipamento. Problemas de saúde, dentário e até mesmo assalto.

Conclusão


Nossa! Esse episódio só abordou coisas óbvias. Será mesmo? Muitas vezes não traçamos metas e nos atiramos ao sabor do vento. O que pode ser muito gostoso, mas cheio de possibilidades perigosas.
Atualmente existem muitas profissões que possibilitam o trabalho remoto e por consequência você pode viajar enquanto trabalha.
Decidi abordar somente nove pontos por aqui, mas a lista é muito maior. Poderíamos ainda abordar segurança, leis locais que precisam ser estudadas. Muitos países possuem leis que diferem e muito das nossas.
Mas espero ter ajudado com essa contribuição. Até a próxima

Ouça o PODCAST desse texto

compartilhe essa ideia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

escute o We Go

We Go Rompendo Barreiras é um projeto de experiências compartilhadas a partir da vivência de uma família nômade, que vendeu tudo e saiu viajando pelo Brasil.

A jornada seguiu inicialmente sem muito planejamento. E foi com a cara e a coragem que resolveram viajar trabalhando em lugares diferentes. Passam a maior parte do tempo trabalhando, estudando e se desenvolvendo intelectualmente.