facebook

Vida Nômade: Quando é hora de separar

E você que vive junto com alguém, se separa de vez em quando? Percebe que sente falta do seu mundo próprio? É disso que pretendo discorrer neste episódio, sobre a hora de se separar e dar um tempo pra você e para o outro. Este é o podcast do Portal We Go, um espaço de expressão da alma e compartilhamento de experiências onde pretendemos compartilhar acerca das barreiras que rompemos ao longo de nossas jornadas. Ouça para que você possa romper as suas próprias barreiras, vem com a gente vai ser mais leve, garantimos!


Ficar, e viver junto nunca é uma tarefa fácil, principalmente quando se vive assim por muito tempo. A pandemia Tem sido uma boa mostra à todos o quão dificil é viver muito junto e principalmente confinado.


Em meio ao dia dia, quase sempre o estresse e a mesmice da rotina bate a porta e as vezes percebemos que a união deixa de fazer a força e fica difícil a convivência muito junta. Tendemos a caricaturar os fatos e coisas pequenas passam a ser grandes e qualquer faísca se torna facilmente alimento para fogo e a famosa tempestade em como d’água passa a ocorrer com frequência sob qualquer aspecto, seja no trabalho e ou nas relações.


Viver junto exige esforço e julgo que ter uma boa percepção do que acontece e, sempre que possível antever momentos de tensão se faz importante para manutenção de qualquer vida junto. e isso não digo apenas entre casaias, mas sim entre irmãos, pais e filhos, amigos, vizinhos enfim….qualquer pessoa que passa muito tempo junto tende a estressar em algum momento.


Estando há quase dois anos em pandemia, e assim como o mundo tod, estar confinado e com pouco contato social, o desafio de viver junto se transformou e creio ter visto em algum lugar que os casais se separaram antes do previsto e até a violência doméstica aumentou devido toda a tensão que envolve o confinamento levado pela pandemia.


não preciso aqui discorrer sobre a grande dificuldade da convivência durante o isolamento social,, pois isto cada um de nós terráqueos Pôde viver na pele as dores e as alegrias de estar ainda mais junto daqueles que dividem conosco o mesmo teto.
Pra nós, aqui em nossa jornada não foi diferente, os planos de todos foram suspensos, sonho, rotinas e perspectivas foram drasticamente interrompidas.
Todos recalculamos a rota e daquilo que vivíamos poucas coisas restaram. Primeiro mudamos de cidade e além do circulo social todos os nossos compromissos rotineiros foram deixados para trás. E desde abril de 2020 vivemos os cinco esta loucura de estar o tempo todo juntos.


Pra nós, que vivemos uma vida nômade o estar junto e muitiiito junto foi além da pandemia, pois como estamos em lugares desconhecidos não temos a nossa vida social e mesmo que as flexibilização dos encontros sociais tenham acontecido, nós continuamos praticamente confinados, saindo um pouco mais, porem contamos com nós mesmos, para dores, alegrias comemorações e desabafos
Diante disso, e principalmente levando em conta a grande dificuldade da convivência familiar, o ponto que quero chegar aqui é que considero de grande sabedoria entender a hora de se separar antes que as relações sejam tomadas pelas dificuldades do dia dia. E, assim depois de tanta convivência, creio ter aprendido que é sábio quem sai fora por um tempo antes de ter que ir embora e separar para sempre.


No episódio passado contei um pouco sobre a semana que passei com as meninas no vale do Capão e devo adentrar aqui que este fato ocorreu também devido a grande necessidade do grupo se separar.


Estávamos esbarrando nas dificuldades rotineiras e fazendo destas dificuldades grandes turbulências, isto entre tudo e todos. Percebendo isso e acessando experiências passadas entendemos que deveríamos agir de forma diferente antes que as brigas se fizessem presentes, pois estávamos naquele ponto onde enquanto adultos e crianças não suportávamos nem mais a nós mesmos.


E, assim com a chegada de meu aniversário entendi que meu presente seria sair fora por uma semana.


Metade do grupo para um lado metade para o outro por sete dias pelo amor da Deusas….


Uma semana no Capão foi a forma inteligente que encontrei de ir de frente com as minhas sombras e permitir que minha alma se afastasse dos outros tripulantes.


Apartar de quem se vive junto é importante para respirar ares diferentes, tomar decisões de forma mais autônoma e pensar com a própria cabeça sem ser constantemente interrompida pelas aflições e necessidades do outro.


Admitir que a vida junto precisa de espaço para viver um pouco sozinho, é pra mim cima de tudo entender que, não da para enxergar outro quando não enxerga a si mesmo.


Em meio a estas reflexões, notei o quão importante é separar um pouco para continuar junto por mais tempo.

Ouça o PODCAST desse texto

compartilhe essa ideia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

escute o We Go